Pesquisa personalizada

segunda-feira, outubro 15, 2007

Genialidade em Propaganda.

Tá ai um assunto muito legal pra discutir em uma sala de aula de universidade.

O que faz uma campanha publicitária ser realmente genial?

Seria...
... o volume/abrangência/penetração de anúncios?
... a concepção/criação da idéia?
... a forma e abordagem da comunicação?
... o trabalho envolvido para realizar a peça?
... os resultados em marca e/ou vendas atingidos?

Bem, lógico que com todos os fatores acima fica fácil uma peça de comunicação (propaganda) ser considerada genial.

Mas se tivéssemos que escolher apenas uma delas , uma para focar e eleger como a essencial para criarmos uma peça genial... qual seria?

Sinceramente, eu ainda fico em dúvida.

Mesmo sabendo que cada caso é um caso.
Mesmo sabendo que para cada produto/serviço existem estratégias diferentes.
Mesmo sabendo que tudo pode mudar dependendo do público alvo.
Mesmo sabendo que nem sempre boas e caras idéias não vendem tão bem quanto idéias super econômicas e obvias.

Então, se mesmo assim, tivesse que eleger apenas uma. Qual seria?

Olha fica difícil. De Bombril (simples, repetitivo, direto e até fraco) à propagandas da Brahma na copa com a tartaruguinha que jogava bola (super elaborada, cheio de efeitos especiais, voltada para uma comunicação de impacto), ambas super criativas em seus campos, focadas no público alvo, com abrangência gigante, super geniais seja pelos efeitos especiais, seja pela simplicidade da comunicação.

Mas dessa vez vou ter que escolher só uma, sem menosprezar as outras e sem levar muito em consideração minhas opiniões sobre os 3 ingredientes mágicos da publicidade que citei em um post um certo tempo atrás aqui mesmo no Diariamente.

Vou ficar com...... "trabalho envolvido para realizar a peça".

Porque? Ora, porque sim. Tive que escolher uma, não tive! Pronto!

O que pesou?

Bem... pesaram sim foram as sábias palavras de um professor que tive na faculdade, Fernando Brengel, excepcional professor e ótima pessoa, ele sempre dizia:

- "É preciso 99% de transpiração e só 1% de inspirarão para criar uma campanha publicitária de sucesso."

Até porque todo o resto contribui para o acumulo de trabalho, na verdade as peças mais geniais, na minha opinião até hoje são extremamente fáceis e agradáveis de se assistir mas geraram um trabalho absurdo por trás das câmeras.

Existem dois comerciais que ilustram bem esta minha opinião, saca só:

Sony Bravia Paint.


Honda COG.


Trabalho, trabalho, trabalho e muito trabalho.

Até porque Sucesso só vêm antes de Trabalho no dicionário.

Fui!

4 comentários:

Erika disse...

A criatividade e genialidade são as chaves prá mim, Marcel.

Comerciais como este da Bravia, que me fazem arrepiar, são os meus prediletos.

Como no começo da Sharp, quando apareciam duendes e fadinhas, um mundo mágico e fantástico.

Criatividade.

Beijo. Ótima semana

Aninha Goulart ® disse...

Muito bom o blog!
Fica o convite para participar da campanha Blogs de Qualidade.
Passa lá no Arquivinho.
http://arquivinho.blogspot.com
Bjos, Aninha

Marcel Campos disse...

Os da Sharp eram bme legais mesmo Erika.

Aninha, gostei da iniciativa, como participo?

Anônimo disse...

muito fake seu professor, isso dai quem disse foi thomas edison, aquele mesmo, o criador da lampada eletrica